Como dar entrada na guarda compartilhada?

A separação dos pais costuma ser sempre algo meio traumático para as crianças.

Aos pais, cabe a velha missão de conscientizá-los que estão pedindo a separação um do outro e não dos filhos.

Mas, ainda assim, uma dúvida paira sobre a mente deles: Com quem ficarão, já que ambos são bons pais e são capazes de continuar disponibilizando uma criação e educação de qualidade?

Para isso, existe o conceito de guarda compartilhada.

dar-entrada-guarda-compartilhadaTambém chamada de guarda conjunta, esse procedimento é um acordo que possibilita, tanto ao pai como a mãe, a continuidade no poder de decisão e nos direitos de visita aos filhos. Naturalmente, se o processo tiver a concordância de ambos, e conseguirem chegar a um acordo de responsabilidades financeiras e dos demais aspectos legais, tudo será acertado de uma maneira bem mais simples e objetiva.

Por outro lado, existem casos que há conflitos e, dessa forma, ambos acabam tendo a necessidade de apresentar suas razões e o impasse acaba se tornando mais longo.

Nas linhas abaixo, explicaremos como funciona esse processo e como os pais devem proceder.

Dicas de como agir no processo de guarda compartilhada

1# – Contrate um advogado

Não se trata de uma obrigação, mas de uma necessidade.

Nesse tipo de processo, você precisará reunir uma série de papeladas e, o principal, terá que provar ao juiz que você reúne os elementos necessários para ficar com seu filho. Se, em outro momento, o juiz já concedeu a guarda ao seu ex-companheiro, esse procedimento ficará ainda mais complexo. Em casos assim, o advogado será ainda mais necessário.

Procure um profissional experiente no ramo e que vai saber aliviar as coisas para você.

2# – A petição

Converse com seu advogado sobre o tipo de petição que vocês precisarão encaminhar.

Ele lhe orientará e ajudará a entrar em contato com o tribunal da sua região.

Existem procedimentos diferentes quanto à petição, nesses casos. Depende de fatores como se já existe uma guarda em vigor, se envolve casos de reconhecimento de paternidade, se essa é a primeira vez que vocês estão tocando esse processo judicial.

3# – Entrega da petição

Nesse documento, além dos dados básicos que serão solicitados, você deverá fazer uma proposta de acordo de guarda conjunta, informando como considera que seria a melhor proposta para as responsabilidades físicas e legais.

Entregue a papelada no tribunal, mas não sem antes uma bela revisão de seu advogado.

Você terá que pagar uma taxa que poderá ser isenta ou reduzida, se você solicitar e tiver motivos para isso.

4# – Providencie uma cópia da petição para seu ex-companheiro

Isso será importante para que você possa se certificar de que seu ex-parceiro está a par de tudo.  

5# – Preparação para a audiência

Daí então, todo processo já estará encaminhado.

Basta a você, muitas conversas com seu advogado para estabelecer como será a apresentação da sua causa e a sua argumentação no tribunal. Muito importante que você participe desse processo e não deixe tudo a cargo do seu advogado.

Deixe um comentário